Esqueci minha senha

ASSINE J√Ā

EMANUELE DO RECIFE É CASADA E ADORA CAGAR EM PAUS.
Por: EMANUELE.
Visualizado 1607 vezes

Sou casada, vagabunda e depravada, e daí? Gosto que meu marido seja corno submisso e atenda minhas vontades de foder com outros machos, inclusive seus amigos. Mas gosto de ser depravada, puta, vagabunda de terceira categoria, nojenta mesmo, me sentir usada, dar o cu, cagar numa pica gostosa e ainda chupar o pau desse jeito para o macho gozar dentro de minha boca.
Para minha família, amigos de trabalho e na vizinhança sou mulher casada e exemplar, mas ninguém nem imagina como sou vadia e o que faço. Adoro macho, sou insaciável, adoro caralho em todos os meus buracos quentes e gostosos. Faço meu corninho falar isso até para amigos de trabalho, dos mais humildes aos chefes. Ele tem de oferecer sua esposinha, de todo jeito. Até estranham, mas quem não curte uma vagabunda casada e vadia, jovem e bonita, para fazer de tudo, na cama do corno mesmo, como nesse dia da foto? Estou adorando o site, pois hoje sinto que é um espaço para extravasarmos nossas mais loucas fantasias. Vou descrever sobre esse dia, com chefe de meu maridinho corno e muitas outras, antigas e novas.
Bem, meu marido trabalha com vendas de materiais eletrônicos no centro do Recife e tem lá um gerente que fiquei com o maior tesão. E sou assim mesmo. Bate o tesão eu quero o macho. E meu corninho sabe tudo. Falei que queria dar o cu e me cagar na pica daquele coroa gostoso. Meu corninho falou que era perigoso falar isso, pois ele era chefe, homem sério e de difícil acesso. Mas corno obediente tem mais é que obedecer. não é? Então meu maridinho corno levou algumas fotos nossas em praias e piscinas, no computador e começou a mostrar para o gerente. Ele notou os olhares dele para minha bunda, sempre com fio dental. Bundinha bem branquinha, de pele sedosa. Em uma semana, vendo o interesse do chefe, meu marido corno puxou assunto mais picante, falando que tínhamos vida feliz e liberal. O chefe não entendeu a expressão liberal e meu marido começou a falar devagar, primeiro que gostava de ver homens admirando minha bunda na praia. O gerente perguntou se ele não tinha ciúmes e ele disse que não, que curtíamos isso. Logo o macho mostrou-se interessado, até que nos convidou para sua casa de praia em Itamaracá, num sábado, pois esposa estava viajando. Lá já ficaram papeando e eu com fio dental verde, com bunda virada para ele, que estava louco de tesão. Após algumas cervejas meu corno confessou que tínhamos amigos e amantes e que eu adoro dar o cu. Depois falou que eu desejava tê-lo também como amigo íntimo. Eu ouvia tudo e vi a reação de espanto e tesão juntas. Logo ele falou que topava, mas meu marido falou que não sabia se ele curtia tudo e me chamou pra a mesa. Como vagabunda e puta que sou, olhei em seus olhos e realmente assumi que estava com tesão por ele e louca para dar o cu. Mas que gosto mesmo é de dar o cu me cagando na pica do macho. Ele ficou pasmo. Eu estava ....
VEJA ESSA E OUTRAS HISTÓRIAS DE PERNAMBUCANAS CASADAS E SEUS CORNINHOS MANSOS EM NOSSO SITE.
www.selmabrasil.com


&acopy; Todos os direitos reservados
selmarecife.com.br